Mariane convive com a cirurgia plástica desde pequena, pois sua mãe era instrumentadora cirúrgica na clínica Ivo Pitanguy. Foi em 1994 que o Dr. Enzo Rivera a convidou para atender pacientes de pós operatório. Nesta época, ela só tinha formação em massoterapia e sob a orientação dele, atendia as pacientes com técnicas de massagem.

Ela adorava cuidar das pacientes e vê-las melhorar a cada dia. Porém, as fibroses permaneciam. Foi então, buscar o que eram exatamente aquelas complicações tão frequentes e de tão difícil abordagem terapêutica. No ano seguinte, entrou para a faculdade de fisioterapia e começou sua busca por tratamentos específicos para as intercorrências que tanto tinha dificuldade em resolver com técnicas de massagem. Durante toda a faculdade, utilizou diversas técnicas fisioterápicas, conforme ia aprendendo recursos e técnicas, aplicava nos pacientes. Paralelo a isso, começou a trabalhar com diversos cirurgiões plásticos, inclusive com a Drª Bárbara Machado, que dentre todos os cirurgiões com quem trabalhou, foi quem mais incentivou e acreditou no trabalho proposto pela Mariane durante suas pesquisas e tentativas de desenvolver um tratamento adequado e com quem trabalha até hoje.

Foi na faculdade que conheceu a Profª Vera Borsato, que com seu conhecimento na área de terapias manuais, orientou Mariane como estudar e aplicar as técnicas nos pacientes em período de cicatrização. Quando se formou fisioterapeuta, já havia estabelecido um tratamento eficaz para as tão temidas fibroses e com a vasta prática clínica, adaptou as manobras para as necessidades dos pacientes que apresentavam muitas características em comum, como fibroses, aderências e edema. Assim surgiu a liberação tecidual funcional (LTF).

Mariane concluiu a faculdade de fisioterapia em 2000, já com grande experiência no atendimento destes pacientes e completamente apaixonada pelo trabalho que desenvolvia, deu continuidade aos seus estudos ingressando na pós graduação de fisioterapia dermatofuncional em 2001, o que a colocou em contato com a área de dermatofuncional e a levou à docência.

Em 2004, iniciou a vida científica como estagiária no laboratório de Reparo Tecidual da UERJ e em 2006 ingressou no mestrado em Biologia Humana e Experimental, sob a supervisão da Profª Andréa Monte Alto Costa, que apresentou Mariane ao mundo da pesquisa científica, tornando-a uma profissional ainda mais qualificada.

Com o aprofundamento na pesquisa em cicatrização e tensão mecânica, foi necessário fazer modificações na aplicação da técnica, uma vez que Mariane estudou as alterações estruturais e fisiológicas que os tecidos em cicatrização apresentam. Foi durante o mestrado que ela adquiriu a base cientifica do trabalho que desenvolve. Defendeu sua dissertação em 2008 e hoje continua seus estudos pesquisando sobre as técnicas que utiliza e ministrando aulas por todo o Brasil no intuito de dividir seus conhecimentos com os colegas fisioterapeutas.

Mariane trabalha com muito amor e é uma profissional realizada no que faz. Porém, vem cada vez mais se sentindo impotente frente a um enorme número de colegas praticando erroneamente a fisioterapia. Seu objetivo com a criação deste site é evitar que as pessoas acreditem que fibroses não têm tratamento, pois elas têm e é muito simples, basta conhecer o processo estrutural e fisiológico da sua formação. Ela defende a fisioterapia séria e embasada e se empenha em divulgar suas pesquisas aos cirurgiões plásticos e pacientes, para que em um futuro próximo, todos possam se beneficiar das descobertas científicas na área de pós operatório e conseguir assim, resultados rápidos, efetivos e satisfatórios tanto do ponto de vista funcional como estético.